Solidariedade aos companheiros do IF Catarinense - campus Abelardo Luz

O golpe em curso no Brasil tem mostrado uma de suas garras na devastadora retirada de direitos contra a classe trabalhadora, mas desde o primeiro momento tem estado claro que o grande capital se utiliza não só do Congresso Nacional, como de várias outras instituições, para acelerar o ritmo da precarização da vida dos trabalhadores e para perseguir os lutadores.
No dia de hoje, num ataque frontal ao MST em Santa Catarina, a educação e ao serviço público, a Polícia Federal fez cumprir medida cautelar, a pedido do Ministério Público Federal, no campus de Abelardo Luz do Instituto Federal Catarinense.

Leia mais...

Nota de repúdio à ingerência do governo golpista de Michel Temer nos assuntos internos da Venezuela

Pelo presente, repudiamos a posição do governo golpista brasileiro encabeçado por Michel Temer, expressada pelo ministro das relações exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, de não reconhecer a instauração do processo da Assembleia Nacional Constituinte da irmã República Bolivariana da Venezuela.

O processo de realização da Assembléia Constituinte foi democraticamente instaurado e com a presença de observadores internacionais. O povo venezuelano é soberano e decidiu nas urnas o seu destino. Lição de democracia popular!

Esta declaração do Itamaraty é uma ingerência nos assuntos internos de uma nação soberana, auto-determinada e democrática. Esta declaração vai contra as normas do direito internacional, merecendo condenação da opinião pública nacional e internacional e dos mecanismos que regem as relações internacionais.

Ao assumir a presidência (rotativa) do Mercosul, os usurpadores brasileiros, vergonhosamente submissos ao imperialismo estadunidense, suspendem a participação da República Bolivariana da Venezuela e lhe aplicam "sanções". Comprometido, como seu antecessor José Serra, com as transnacionais petroleiras estadunidenses, Aluísio Nunes leva adiante sua tarefa golpista de, após reintegrar plenamente os golpistas do Paraguai, expulsar a Venezuela do bloco. A serviço do imperialismo, o movimento golpista brasileiro faz de tudo para reverter todos os avanços das últimas décadas na Integração e cooperação Sul-Sul.

Nem mesmo durante o governo ditatorial brasileiro de 1964-1985, nem mesmo durante os governos dos ex-presidentes José Sarney e Fernando Henrique Cardoso, a diplomacia brasileira cometeu tamanho atentado contra o respeito à soberania e auto-determinação dos povos. Temos um governo golpista subserviente à política externa dos Estados Unidos.

O governo brasileiro faz eco com a mídia reacionária nacional e internacional e com a reação interna venezuelana encabeçada por políticos corruptos e golpistas, articulados pelos organismos de espionagem e de terrorismo dos Estados Unidos que armam grupos paramilitares venezuelanos.

A sórdida identidade de interesses e opiniões dos golpistas brasileiros com a oposição golpista venezuelana se traduz em defender os interesses do imperialismo norte-americano, desnacionalizar a economia, quebrar as empresas nativas, destruir as conquistas sociais, criminalizar a luta. A que ponto chegam os inimigos de nossa pátria e da Venezuela!?! Mas eles têm guardado o seu lugar no fundo fétido da lata de lixo da história.

Manifestamos nosso apoio e solidariedade ao povo venezuelano, sua Assembleia Nacional Constituinte e ao governo Maduro.

VIVA A SOBERANIA E AUTO-DETERMINAÇÃO DOS POVOS!

Polo Comunista Luiz Carlos Prestes - PCLCP
Movimento Avançando Sindical - MAS Brasil
Juventude Comunista Avançando JCA - Brasil

Entender o momento para reorganizar a luta de classes

Sobre a aprovação da contrarreforma trabalhista e a condenação de Lula

A aprovação da contrarreforma trabalhista no dia 11 de julho e a publicação da condenação de Lula no dia 12 de julho deste ano de 2017 tem uma simbologia que não pode ser desconsiderada. Quem não entender que os dois ataques partiram do mesmo centro de poder está se esforçando para não ver o óbvio. 

Tanto a destruição dos direitos trabalhistas quanto a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazem parte do projeto do golpe de Estado que está em curso no Brasil e que foi sacramentado pelo impeachment ilegal da presidente Dilma Roussef no ano passado.

O Polo Comunista Luiz Carlos Prestes, o Movimento Avançando Sindical e a Juventude Comunista Avançando nunca participaram um dia sequer dos governos encabeçados pelo PT, e já não reivindicamos a construção da CUT desde a década de 1990. No entanto, isso não nos impediu de estarmos denunciando o movimento golpista desde 2015, e de termos participado concretamente de todas as lutas contra a política de regressão dos direitos e contra o golpe. Mantivemos nossa autonomia ao não pactuar com o projeto de conciliação de classes e nos colocando como oposição de esquerda aos governos de Lula e de Dilma. Também nunca admitimos qualquer proximidade ou aceitação passiva do movimento golpista que vem aniquilando direitos seculares e que agora condena Lula para buscar impedir que possa concorrer à próxima eleição.

Leia mais...

O avanço da barbárie imperialista e a resistência do povo trabalhador

Contribuição do Movimento Avançando Sindical (MAS)

A conjuntura internacional pode ser sinteticamente abordada a partir do acirramento da crise estrutural do capital1, com o prolongamento por quase uma década da crise dos subprimes (2008) em que a crise financeira é apenas a consequência do atual estágio de desenvolvimento do sistema sociometabólico do capital. É o Capital a raiz dos principais problemas e desafios estruturais que a humanidade enfrenta na contemporaneidade.

A formação imperialista do capital e em particular a hegemonia estadunidense evidenciam as principais estratégias de reprodução de um sistema social que para se manter de pé é obrigado a submeter povos e nações inteiras à mais profunda barbárie social.

As Guerras Mundiais do século XX são exemplos de como as alternativas para a saída das crises do capital ocorreram pelo fortalecimento do complexo industrial militar, contudo, estas perspectivas chegaram ao limite no momento do domínio da fissão nuclear e da corrida por armamento nuclear durante e após a “guerra fria”2. Atualmente a capacidade do armamento nuclear das grandes potências militares é suficiente para destruir a superfície do planeta terra mais de uma centena de vezes. Ou seja, estamos diante de um limite em que a própria existência da humanidade está em cheque.

 

Leia mais...

24 de maio: uma sacudida na Capital Federal

 
Brasília, a capital brasileira desde 1960, nunca tinha sido palco de uma manifestação tão grande quanto a que ocorreu no dia 24 de maio. Estima-se que cerca de 200 mil pessoas marcharam em direção ao Congresso Nacio-nal, o Palácio do Governo e o Supremo Tribunal Federal, com três consignas claras e unânimes: contra a destrui-ção da previdência social, contra o aniquilamento das leis trabalhistas, Fora Temer e fim do golpe. Foi também a manifestação mais forte de todos os tempos em termos de disposição para a resistência e para a luta. Não por acaso, o golpista Michel Temer acabou assinando um decreto autorizando “o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem no Distrito Federal”. Segundo o ministro da defesa, a convocação do exército foi uma solicitação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.
 

Leia mais...

.

.

.

Multimídia

You need Flash player 6+ and JavaScript enabled to view this video.
Watching: Saudação do PCLCP ao Congresso de Fundação da Central
Playlist: 0 | 1 | 2